Encerramento de 2017 com celebração pelo direito à expressão cultural

Jovens Monitores realizam cortejo da Galeria Olido até o Largo do Paissandú
Jovens Monitores realizam cortejo da Galeria Olido até o Largo do Paissandú

O Programa Jovem Monitor Cultural (PJMC) fechou suas atividades do ano de 2017 com chave de ouro. Ou melhor, com cortejo de Maracatu. No dia 18 de dezembro, o PJMC encerrou mais um ciclo promovendo e difundindo cultura aos jovens monitores do programa. Na Galeria Olido, localizada no centro de São Paulo, eles se reuniram para debater e festejar pela última vez no ano. O encerramento ficou por conta grupo Maracatú Baque Atitude.

A tarde iníciou com as apresentações da Drag Queen Luna (realizada pelo jovem monitor José Henrique) da cantora Sistah Mari, da instrumentista Stéfanie Santos e do artista Gabriel. Após os shows, os jovens assistiram a palestra da educadora Anabela Gonçalves, sobre a temática de gênero, e participaram da oficina do educador Vicente Góes, psicólogo e coordenador pedagógico da Escola de Jornalismo da Agência Énois, que, por meio da metáfora do formigueiro, trouxe conceitos de crença e modelos mentais.

O ápice da programação foi encerramento do dia. Um cortejo da Galeria Olido até o Largo do Paissandú, com maracatu promovido pelo grupo Baque Atitude, no entorno da igreja de Nossa Senhora do Rosários dos Homens Pretos. No espaço, que é conhecido como um lugar de resistência da população negra na cidade, os jovens fizeram uma roda, com todos de mãos dadas, para celebrar a essência do PJMC: o direito à expressão cultural.  

“As pessoas não sabem como funciona a administração pública, mas aqui (no PJMC) a gente passa a ter uma consciência mais plena, ocupando esses espaços. Estamos trabalho em pró de um projeto comum. Espero que esse programa nunca acabe”, afirmou Acácio Henrique Batista, que atual na Coordenação de Centros Culturais e Teatros.

O Programa é de realização da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo em parceria com o CIEDS, e visa proporcionar aos jovens formação e experimentação em gestão cultural. 

Por Toni Cavalcanti e Rafael Biazão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *