IMG_5922

Nabil Bonduki visita o Programa Jovem Monitor Cultural: ‘Estamos vivendo um processo novo de formação’

O secretário municipal de cultura, Nabil Bonduki, participou de um encontro com os integrantes do Programa Jovem Monitor/a Cultural (PJMC), na Galeria Olido, em São Paulo, na manhã da segunda-feira, dia 07 de dezembro.

O secretário exaltou o poder transformador do programa realizado pelas conveniadas Ação Educativa e Instituto Pólis. “Estamos vivendo um processo novo de formação, que não é aquela formação tradicional, escolar. Mas a que se faz no cotidiano do trabalho, das relações humanas e das políticas públicas”.

IMG_5927
O secretário de cultura Nabil Bonduki

Em novembro o programa iniciou um novo ciclo com 170 jovens, somando ao todo, 250. Desde 2013 a Secretaria Municipal de Cultura (SMC) tem expandido o campo de atuação do PJMC, que em 2014 culminou em 190 jovens. Isabel Pizzingrilli, coordenadora do programa no Departamento de Expansão Cultural (DEC), enfatizou que o potencial do programa são as diversas vozes contidas nele.

“A minha fala de hoje é carregada por muitas vozes, porque o programa é voz. A juventude do programa é voz. E voz privilegiada para jovens de baixa renda e jovens de 18 a 19 anos. O nosso programa é uma voz imensa na cidade, ele está em inúmeros equipamentos culturais na cidade, que por si só é voz de gestores, artistas, jovens, funcionários e público que o frequenta”.

Nabil falou da importância da cultura na sociedade brasileira e seu papel nas propostas e diretrizes políticas democráticas no país. “Hoje a cultura tem um papel transformador maior que o da política, mas cultura e política andam juntas. Porém, é através da cultura que mentalidades são transformadas, e isso é essencial para a transformação da sociedade”.

IMG_5922
O secretário de cultura Nabil Bonduki

Questionando os parâmetros que se avalia uma sociedade, o secretário enfatizou a felicidade como um indicador de desenvolvimento social. Nabil resgatou o conceito da Felicidade Interna Bruta (FIB), que tem entre os seus pilares a “preservação e promoção dos valores culturais”.

“A grandeza de um povo deveria ser calculada não pelo PIB, mas pelo índice de felicidade da população. E a cultura traz felicidade e valoriza o relacionamento humano. Um exemplo é a Avenida Paulista aberta aos domingos para a população que se enche de cultura e é tomada por todos os tipos de pessoas e expressões culturais”.

O secretário também apontou quais são as expectativas para os jovens do PJMC neste novo ciclo. “Nós esperamos fortalecer junto com os jovens monitores os equipamentos espalhados em toda a cidade de São Paulo. Ao todo são 140, e o papel do jovem é estabelecer esse contato mais próximo com a sociedade”.