Programa Jovem Monitor Cultural em 2017 e novidade para 2018

Vamos fazer juntos? Essa foi a proposta da gestão aos participantes do Programa Jovem Monitor/a Cultural. Em um balanço dos cinco meses da nova turma, pode-se afirmar que foi um período com muitos desafios, mas também de escuta qualificada e de trabalho em grupo, com objetivo de fazer do Programa uma política pública inclusiva, feita de fato pelos jovens da cidade de São Paulo.

No evento de lançamento, realizado no dia 8 de agosto, no Cine Olido, os jovens selecionados e os gestores dos 96 equipamentos públicos de cultura que participam do Programa receberam as boas-vindas da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, da equipe de Coordenação do Programa e do CIEDS.

O encontro reuniu 220 jovens, contemplando e garantindo a pluralidade, os aspectos de gênero, raça/etnia e sócio-econômico. Eles chegaram, no Cine Olido, animados para receber as boas-vindas do Programa Jovem Monitor Cultural, que tem como objetivo oferecer formação e experimentação profissional em gestão cultural.

Após o evento oficial de início da nova turma, a nova equipe gestora se reuniu com os gestores dos equipamentos públicos para ouvir quais eram os pontos de atenção que poderiam ser melhorados. A principal questão foi o alinhamento entre formação teórica e prática e como isso impacta na relação entre gestores e jovens e na atuação dos mesmos nos equipamentos.

Além de uma adaptação no processo formativo, diversas estratégias foram tomadas para alinhar a formação teórica com os gestores dos equipamentos, para que estes estivessem preparados para potencializar a participação dos jovens.

Outra estratégia, foi a criação de um formulário de avaliação, para que a equipe gestora possa monitorar, a partir da visão dos jovens, dos gestores e dos supervisores de campo, a relação dos atores envolvidos na realização do Programa.

Avaliação do Programa Jovem Monitor Cultural agora na palma da mão.
Avaliação do Programa Jovem Monitor Cultural agora na palma da mão.

Pensando em uma questão de sustentabilidade e praticidade, este formulário terá uma novidade para o ano de 2018. Agora a avaliação e monitoramento será feita por meio de um aplicativo. Disponível para aparelhos android, gestores e jovens terão na palma da mão a possibilidade de preencher, mediante cadastro, avaliações sobre a atuação nos equipamentos e relacionamento com suas respectivas equipes. O aplicativo já está disponível para download pela play store. O formulário também pode ser preenchido direto por um navegador web, sendo acessado por aparelhos smartphones, tablets ou computadores.

Outra novidade na turma de 2017 ficou por conta do processo formativo. Com encontros gerais e encontros regionais, o Programa conseguiu uma escuta mais qualificada. Escuta essa que identificou a vontade dos jovens em trabalhar temas específicos durante as formações. Para atender esta vontade, foi aberto espaço para a realização de grupos de trabalhos.

Os temas abordados nos GTs são: Feminismo, preconceito de raça e gênero e estereótipos sociais; Formação PJMC; Políticas públicas culturais; Política de redução de danos; Manifestações indígenas e quilombolas; e Diversidade sexual, gênero e suas expressões artístico-culturais.

E para 2018 vai ter muito mais. Muita mais participação e construção coletiva de uma política pública inclusiva, que ouve o jovem e cria redes para prosperidade da cultura na cidade de São Paulo.

Por Rafael Biazão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *